Suspensão de feriado gera protesto

Escadas do MP foram lavadas em ato de repúdio contra ação movida pelo órgão

Integrantes do Movimento Negro de Goiás e da Federação de Umbanda e Candomblé realizaram ontem, em frente ao Ministério Público (MP)estadual, uma manifestação de repúdio contra a ação do MP aceita pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), que suspendeu o feriado da Consciência Negra em Goiânia, que seria comemorado hoje.

Com cartazes e camisetas com dizeres como “Feriado sim! Racismo não!” os manifestantes lavaram as escadas do prédio do MP como uma forma simbólica de protesto. “A lavagem é um ritual que significa que estamos lavando essa proibição do feriado”, explicou uma das representantes do Movimento Negro, Lídia Maria do Nascimento.

Segundo um manifesto, redigido pelo Movimento Negro e distribuído na manifestação de ontem, “o Ministério Público foi incapaz de compreender a luta do povo negro por uma sociedade mais justa e menos desigual”. ( Camila Blumenschein – O Popular – 20/11/09)

Anúncios