Prefeito participa da abertura da 13ª Exposição de Orquídeas de Anápolis

O prefeito Antônio Gomide participou da abertura da 13ª Exposição de Orquídeas de Anápolis, que se realiza no Anashopping. O presidente da Associação dos Orquidófilos, Afonso Vasques, agradeceu o apoio da Prefeitura Municipal e disse que a Exposição “está muito bonita” e prossegue até domingo, dia 1/8.

Anúncios

A orquidofilia em Anápolis

Cartaz da 13ª Exposição de Orquídeas de Anápolis, realizada em 2010.

Acontece em Anápolis, entre os dias 30 de julho e 1º de agosto, a 13ª Exposição Nacional de Orquídeas de Anápolis, atividade que integra as comemorações do aniversário da cidade. A exposição é promovida pela Associação Orquidófila de Anápolis, com o apoio da Prefeitura Municipal, e constitui, segundo o presidente da entidade, Afonso Vasques, uma grande oportunidade para que o público conheça mais sobre esta atividade e também possa adquirir plantas de alta qualidade, com preços reduzidos.

Esta exposição anual é uma das principais atividades da Associação Orquidófila de Anápolis, entidade fundada em 03 de agosto de 1996 e que tem entre os seus objetivos incentivar e divulgar o cultivo de orquídeas em nosso município. Para atingir esse objetivo a entidade promove exposições anuais e mostras de orquídeas, sempre com a presença de vendedores de outros estados e com a realização de cursos para iniciantes. Contando atualmente com 32 associados, a entidade realizada reuniões mensais, com palestras e outras atividades.

Orquidofilia é a atividade voltada para o cultivo e o conhecimento das orquídeas, uma das mais nobres famílias de flores que o mundo conhece. Trata-se de uma atividade cultural e técnica, que exige estudo e dedicação. É muito difundida no Brasil, inclusive em Goiás, onde diversas associações congregam as pessoas que amam e cultivam as orquídeas.

A Associação Orquidófila de Anápolis foi fundada em 1996 e nesse período foi conduzida por três presidentes: Valdinho Chaveiro, fundador da entidade, José Francisco e o atual presidente, Afonso Vasques. A entidade anapolina é filiada à Coordenadoria das Associação Orquidófilas do Brasil (CAOB) e também à recém criada Federação das Associações Orquidófilas do Cerrado, que  congrega as associações de Goiás, Distrito Federal e Triângulo Mineiro.

A Associação tem como principal atividade a realização da Exposição Anual, evento que mobiliza uma média de seis a oito vendedores profissionais, geralmente do Estado de São Paulo, que disponibilizam plantas, adubos e outros equipamentos especializados. A exposição é dividida em duas partes: a venda de plantas e a exposição e premiação das melhores plantas, com a participação de orquidófilos de Anápolis e região.

Além do apoio da Prefeitura Municipal, sempre presente ao longo dos últimos anos, a exposição conta também com o apoio de algumas empresas da cidade, como o Café Rancheiro, TV Tocantins, Caixa Econômica Federal, Laboratório Evangélico, Hotel Via Universitária, Floreslândia Decorações, Paixão Grill, Água Mineral Nina e da imprensa em geral. A exposição é sempre realizada em dos shoppings da cidade e mobiliza uma média de 20 mil visitantes. Um acontecimento!

Orquidário Municipal

Ao longo destes anos de atuação, a Associação Orquidófila vem lutando para conseguir implantar, em Anápolis, um Orquidário Municipal. Trata-se de um local destinado à visitação pública, de forma permanente, funcionando também como um ponto de venda de plantas.

O primeiro passo nesse sentido ocorreu com a aprovação da Lei Municipal nº 3.166, de 07 de dezembro de 2005, que criou o Orquidário Municipal de Anápolis, como unidade administrativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. A lei prevê ainda que o Orquidário Municipal deverá ser instalado nas dependências da Floricultura Municipal, localizada no Bairro Jundiaí, hoje transformada no Parque Ambiental Ipiranga.

A obra, porém ainda não saiu do papel, não tendo sido implantada na gestão anterior, que se limitou a aprovar a lei e elaborar um projeto arquitetônico.  A atual Administração, por sua vez, vem resistindo à implantação do Orquidário, alegando que não tem recursos para este benefício, embora venha investindo em outros setores ambientais. Trata-se, porém de uma obra simples, que pode ser implantada com facilidade, conforme se pode ver no orquidário mantido pela Prefeitura de Goiânia no Bosque dos Buritis: uma obra simples e barata, com muitos benefícios para a população.

Diretoria

A atual diretoria da Associação  Orquidófila de Anápolis tem a seguinte composição: Presidente, Afonso Vasques; Vice-presidente, Laurent Quèno; 1º Secretário, Luiz Carlos Duarte Mendes; 2º Secretário, Leslie Brossi Alemi; 1º Tesoureiro, Neusa Vasques; 2º Tesoureiro, Regina Célia Mendes e Diretor Social, Onaide Santillo. Integram o Conselho Fiscal Gilvanete Honorato e Chesman Gley de Souza Cruz.

Código de Ética dos Índios Norte-Americanos

Levante com o Sol para orar.
Ore sozinho. Ore com freqüência.
O Grande Espírito o escutará, se você ao menos, falar.

Seja tolerante com aqueles que estão perdidos no caminho.
A ignorância, o convencimento, a raiva, o ciúme e a avareza,
originam-se de uma alma perdida.
Ore para que eles encontrem o caminho do Grande Espírito.

Procure conhecer-se, por si mesmo.
Não permita que outros façam seu caminho por você.
É sua estrada, e somente sua.
Outros podem andar ao seu lado, mas ninguém pode andar por você.

Trate os convidados em seu lar com muita consideração.
Sirva-os o melhor alimento, a melhor cama
e trate-os com respeito e honra.

Não tome o que não é seu.
Seja de uma pessoa, da comunidade,
da natureza, ou da cultura.
Se não lhe foi dado, não é seu.

Respeite todas as coisas que foram colocadas sobre a Terra.
Sejam elas pessoas, plantas ou animais.

Respeite os pensamentos, desejos e palavras das pessoas.

Nunca interrompa os outros nem ridicularize, nem rudemente os imite.
Permita a cada pessoa o direito da expressão pessoal.

Nunca fale dos outros de uma maneira má.
A energia negativa que você colocar para fora no universo,
voltará multiplicada a você.

Todas as pessoas cometem erros.
E todos os erros podem ser perdoados.

Pensamentos maus causam doenças da mente,
do corpo e do espírito.
Pratique o otimismo.

A natureza não é para nós, ela é uma parte de nós.
Toda a natureza faz parte da nossa família Terrenal.

As crianças são as sementes do nosso futuro.
Plante amor nos seus corações e ágüe com sabedoria e lições da vida.
Quando forem crescidos, dê-lhes espaço para que cresçam.

Evite machucar os corações das pessoas.
O veneno da dor causada a outros, retornará a você.

Seja sincero e verdadeiro em todas as situações.
A honestidade é o grande teste para a nossa herança do universo.

Mantenha-se equilibrado. Seu corpo Espiritual, seu corpo Mental,
seu corpo Emocional e seu corpo Físico:
todos necessitam ser fortes, puros e saudáveis.
Trabalhe o seu corpo Físico para fortalecer o seu corpo Mental.
Enriqueça o seu corpo Espiritual para curar o seu corpo Emocional.

Comece sendo verdadeiro consigo mesmo.
Se você não puder nutrir e ajudar a si mesmo, você não poderá nutrir e ajudar os outros.

Respeite outras crenças religiosas.
Não force suas crenças sobre os outros.

Compartilhe sua boa fortuna com os outros.
Participe com caridade.

O pão de queijo do J. Pereira

Por José Mendonça Teles – O Popular

Você já foi ao J. Pereira? Não, então vá, lá tem pão de queijo quentinho, feito na hora, então vá. Lá tem uma variedade de biscoitos, sucos, cafezinho e o tratamento vip de seu proprietário Hermógenes Pereira. Fica ali na Rua 55, nº 458, no histórico Bairro Popular.

Se o proprietário se chama Hermógenes, onde entra então o Jota? Homenagem ao meu pai José Pereira Cardoso, diz Hermógenes, com o seu jeito alegre e comunicativo. De manhãzinha, os fregueses vão chegando e encostando-se no balcão e os pães de queijo, quentinhos, vão sendo servidos, sem atropelo, e o proprietário cumprimentando a todos com sorriso de seja bem-vindo. Não há mesas, o atendimento é no balcão, onde os fregueses vão se ajeitando, formando rodinhas e sempre atentos para não queimarem a mão nem a boca, pois os biscoitos chegam sapecando.

Conheci o J. Pereira através de meu saudoso amigo e jornalista Domiciano de Faria, que me levou, juntamente com meu irmão Gilberto, para conhecer o tão falado J. Pereira. A partir de então, mesmo morando na Rua 89, no Setor Sul, e lecionando na Católica, sempre que possível fazia meu desjejum no J. Pereira. Não há como desviar o caminho, em poucos minutos já estava lá degustando os saborosos pães de queijo.

Desde a primeira vez que fui, chamou-me a atenção os inúmeros quadros fixados na parede contendo reportagens de jornais sobre a casa e fotos do glorioso Dragão Campineiro, isto mesmo, Hermógenes é torcedor apaixonado do Atlético Clube Goianiense, meu clube de coração, onde joguei e marquei meus golzinhos.

Daí minha perfeita interação com o Hermógenes, que é mineiro de Ponte Nova, casado, tendo seis filhos e duas netas. A fama dos pães de queijo de J. Pereira nesses 46 anos, sempre funcionando no mesmo lugar, ultrapassou os domínios do Bairro Popular e suas filiais já são seis, esparramadas por vários cantos de Goiânia, dirigidas por seus familiares.

Vá, de manhã, ao J. Pereira da Praça Tamandaré, na da Rua 136, está sempre lotada de fregueses. O J. Pereira na Rua 55 fez história, pessoas do mundo político passaram por lá, como os ex-governadores Iris Rezende Machado, Otávio Lage de Siqueira, Ary Valadão, Henrique Santillo e o deputado federal Ronaldo Caiado e tantos outros, e tantos escritores, professores que Hermógenes vai citando de memória.
Este cronista, enquanto vai soprando o pão de queijo, tentando esfriá-lo, observa a clientela, funcionários públicos, empresários, comerciários, todos se ajeitando em torno do balcão e fazendo o pedido, enquanto Hermógenes, sempre alegre e brincalhão, vai atendendo sua enorme e tradicional freguesia

O Popular – 16/07/2010

42ª Semana Espírita de Anápolis

O palestrante Emídio Brasileiro abordou o tema “Novos Desafios para o Terceiro Milênio”

Sob a coordenação do Conselho Espírita Regional foi realizada, entre os dias 4 a 10 de julho deste ano, a 42ª Semana Espírita de Anápolis, com palestras, venda de livros e evangelização infantil. Entre os palestrantes anotamos Denizard de Souza, com o tema “Missionários da luz a serviço da paz”; João Rabelo, que falou sobre “Chico Xavier”; Cleomar Castro Lopes, com o tema “Missão: Dívida ou Punição?”; Euripedes Barsanulfo, que falou sobre “Meio Ambiente”; Emídio Falcão Brasileiro, com o tema “Novos Desafios para o Terceiro Milênio”; Eurico Alarcão, que falou sobre “Os missionários anônimos” e no encerramento o palestrante Henri Heini Olivier, com o tema “Missionários em tempo de transição”.  O vídeo das palestras pode ser obtido no endereço http://www.palestrasespiritas.com.br

“Investir para conservar o João Leite”

Por Emiliano Godoi – O Popular – On Thursday 1st July 2010

Em editorial no dia 22 de junho, O POPULAR alerta para o grande risco que as fontes de abastecimento público no Estado de Goiás correm, em especial a bacia do Ribeirão João Leite. Alerta ainda para a necessidade de os poderes públicos se mobilizarem em socorro aos mananciais.

Foi exatamente com esse propósito que os municípios de Ouro Verde, Campo Limpo, Goianápolis, Teresópolis de Goiás e Nerópolis se uniram e montaram o Consórcio Intermunicipal da Área de Proteção Ambiental – APA do João Leite. Esse consórcio, que conta com apoio técnico do Sebrae e do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de Goiás (Crea-GO), tem como objetivo principal realizar um projeto de desenvolvimento sustentável para a região, traçando planejamentos de forma integrada, compreendendo que questões ambientais desconhecem limites municipais e que a bacia hidrográfica deve ser a unidade básica de planejamento regional.

Algumas ações já existem, tais como o cadastramento de produtores rurais, o início do processo de conversão da agricultura tradicional para a agricultura orgânica e a sensibilização dos empresários locais para a adoção de práticas de gestão ambiental.

Entretanto, é fundamental que a criação de uma área de proteção ambiental pelo governo estadual não seja um ato isolado. Deve vir acompanhada de políticas públicas que incentivem a conservação ambiental, tais como o ICMS Ecológico, o pagamento por serviços ambientais, concessões fiscais para empresas não poluentes e o gerenciamento integrado de resíduos sólidos. É necessário compreender que, apesar da boa vontade, os recursos municipais são escassos e grande parte da população local é de baixa renda.
Não se pode falar em conservação da água se nenhum dos municípios da APA do João Leite tem sistema de tratamento de esgoto. Não se pode falar de conservação de nascentes sem um intensivo processo de educação ambiental do produtor rural. Não se pode falar em conservação ambiental simplesmente eliminando todo e qualquer tipo de atividade econômica local. Isso provocaria exatamente o efeito contrário do que se espera, pois geraria mais desemprego e pobreza.

Os municípios da APA do João Leite estão conscientes de suas responsabilidades e comprometidos na busca por um desenvolvimento sustentável. Porém, precisam do efetivo apoio dos governos estadual e federal e de instituições como Sebrae e Crea para alcançar os resultados que todos esperam.

Emiliano Godoi é agrônomo, doutor em Recuperação de Áreas

Fraternidade Eclética Espiritualista Universal

Templo da Fraternidade Eclética Espiritualista Universal, em Anápolis, fundada por Mestre Yokaanam, em 27 de março de 1946. É o primeiro Santuário Essênio do Brasil e das Américas e tem, entre os seus objetivos, o desenvolvimento intelectual e sobretudo, mental do homem, na sua mais alta destinação moral e espiritual.