Ciência e Espiritualidade

 

Ciência e Espiritualidade na Fraternidade da Anunciação

As professoras Rejane de Paiva e Maria da Conceição Rodrigues (Ceiça) conduziram o Encontro

“Esta é uma casa de resistência”. Com estas palavras a irmã Pompéia, religiosa paulista, definiu a natureza do Fraternidade da Anunciação, entidade responsável pelo Mosteiro da Anunciação, na cidade Goiás, onde se realizou, entre os dias 12 a 14 de outubro de 2018, o Encontro Ciência e Espiritualidade: desafios de uma nova cosmovisão.

Com 30 participantes, aproximadamente, o Encontro foi conduzido pela professora Maria da Conceição Rodrigues (Ceiça), promotora de Justiça aposentada, graduada em física e psicologia, mestra em Filosofia; e pela religiosa Rejane de Paiva, teóloga, biblista e mestra em Ciências da Religião. Pessoas qualificadas.

No site do Encontro, esta foi a apresentação do curso: “O caminho que vamos trilhar neste encontro partirá ruptura epistemológica imprimida ao conhecimento científico pela Nova Física: termodinâmica, física quântica e teoria da relatividade. Trata-se de uma visão de mundo holística, que convoca o gênero humano ao exercício de sua natureza intrínseca, que é transcendente, e à defesa incondicional da Vida”.

Ciência e Religião

Sem chegar a conclusões definitivas, o seminário tratou do conflito entre a ciência e a religião de forma moderada, optando por uma solução de equilíbrio: de acordo com a nova cosmovisão, detalhada por Ceiça, é possível a convivência entre as duas fontes de conhecimento e saber.

Fazendo uma incursão pela física quântica, a professora Ceiça defendeu a tese segundo a qual os estudos a respeito da consciência constituem hoje um ponto de interesse comum entre a ciência e a religião. “Consciência é a palavra-chave desse encontro”. Outro ponto em comum, segundo a professora Ceiça: tanto a ciência como a religião podem ser consideradas como um “sistema de crenças”.

Para a professora a convivência entre os opostos pode trazer a luz: “a quantidade de consciência disponível para uma pessoa é diretamente proporcional à sua capacidade de administrar a tensão entre os opostos”. Entre outros autores, o seminário examinou textos e documentários de Jung, Joseph Campbell, Teilhard de Chardin e fragmentos do Bhagavad Gita, texto religioso hindu.

De uma maneira geral, chegou-se à conclusão de que a ciência não consegue, ainda, explicar as questões relativas ao ser transcendente, o homem.

Matéria e consciência

O conflito entre a ciência e a religião, a partir dos estudos da física quântica, mudou de patamar e agora o que se discute não está mais fundado na matéria – domínio da física clássica, de Newton – mas sim na consciência, fronteira alcançada pela física quântica. Este é o novo paradigma, ainda em gestação.

Mas, embora não tenham sidos abordados ou indicados durante o curso, existem hoje livros importantes, alguns considerados clássicos, que tratam do tema “ciência e espiritualidade”, com foco nos avanços da física quântica. Vamos citar três.

O primeiro deles é o livro “Quem Somos Nós – A descoberta das infinitas possibilidades de alterar as  realidade diária”, publicado no Brasil em 2007, tendo como organizador o cientista William Arntz. Trata-se de um resumo do documentário americano “What The Bleep do We Know”, em que um grupo de cientistas discute e explica temas como a alteração da realidade, a física quântica e a consciência, entre outros.

O segundo livro que quero mencionar é “O Ponto de Mutação”, de Fritjof Capra, autor do livro “O Tao da Física”. No prefácio da obra, publicada em 1981, Capra justifica o seu interesse no tema: “Os novos conceitos em física provocaram uma profunda mudança em nosso visão do mundo: passou-se da concepção mecanicista de Descartes e Newton para uma visão holística e ecológica, que reputo semelhante às visões dos  místicos de todas as épocas e tradições. (…) Precisamos, pois, de um novo “paradigma” – uma nova visão da realidade, uma mudança fundamental em nossos pensamentos, percepções e valores”.

O terceiro livro importante nesse área é “O Universo Autoconsciente – Como a consciência cria o mundo material”, do físico indiano Amit Goswami. No livro lançado em 1993, Amit contesta o realismo materialista e afirma ser a consciência, e não a matéria, a base de tudo o que existe.

Jó e a sabedoria de Salomão

A professora Rejane de Paiva, por sua vez, conduziu um belo estudo a respeito de do Livro de Jó, destacando antes, a estrutura da Bíblia e os seus Livros Sapienciais: Provérbios, Jó, Eclesiastes, Eclesiástico e Sabedoria. Com o título “Narrativa mítica de uma jornada de individuação”, professora Rejane falou sobre a sabedoria contida no Livro de Jó e destacou: sabedoria é bom senso; sabedoria é falar pouco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s