Duplo angustiante de mim — Litteratus

por Priscilla Lima A questão do duplo, tão trabalhada na literatura universal, é fator fundante na nossa subjetividade. Moreno, psiquiatra e fundador do Psicodrama, afirma que já no começo da vida precisamos de um ‘ego auxiliar’ – uma espécie de ego duplicado do bebê – para que nos desenvolvamos e nos tornamos de fato ‘humanos’ […]

via Duplo angustiante de mim — Litteratus

O Duplo, de Dostoiévski

O DUPLO

“O sonho de um homem ridículo”, de Dostoiévski, foi uma das leituras realizadas este ano.

Depois de ler “O Inquisidor” e o “O sonho de um homem ridículo”, o nosso grupo de leitura – Tertúlia literária – se reuniu no início deste mês de julho para ler o livro “O Duplo”, concluindo assim um rápido ciclo de leituras de mestre russo Dostoiévski. No próximo encontro vamos ler e discutir o livro “Memórias Póstumas de Braz Cubas“, do nosso Machado de Assis.

O DUPLO

O livro integra a Coleção Leste, da Editora 34, tem tradução do professor Paulo Bezerra e é ilustrado com desenhos de Alfred Kubin (1877-1959). Publicado em 1846, o Duplo é o segundo livro de Dostoiévski e tem como personagem central um “pobre diabo”: o burocrata Yákov Pietróvitch Golyádkin, funcionário público “pertencente à nona classe na escala burocrática”, que, vivendo em uma  ‘solidão cinzenta’ e sem nenhuma perspectiva de ascensão funcional ou social, acaba por desenvolver um problema de ordem psicológica – duplicidade ou desdobramento da personalidade -, que o leva à loucura.

TERTÚLIA LITERÁRIA

Tertúlia

Este Grupo de leitura foi criado e é coordenado pela psicóloga Priscilla Lima, professora e pesquisadora no Programa de Pós-graduação em Psicologia na Universidade Federal de Goiás que, segundo a própria, “é louca por livros e café”. Faz reuniões mensais, para a leitura de obras clássicas da literatura, e é integrado também por este blogueiro e pelos amigos Pedro e Rosana Sahium,  Marluce, Samara, Maria Clara Sahium, Jaqueline Ribeiro e conta também com a participação do professor Antônio de Deus. A nossa coordenadora Priscila Lima mantém o blog  Litteratus, dedicado à literatura, psicanálise e cultura. Faça uma visita.

DOSTOIÉVSKI

Dostoievski - imagem

Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski nasceu em Moscou a 30 de outubro de 1821, e estreou na literatura com Gente pobre, em 1846. Após ser preso e condenado à morte pelo regime czarista em 1849, teve sua pena comutada para quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria, experiência retratada em Recordações da casa dos mortos (1862). Após esse período, escreve uma sequência de grandes romances, como Crime e castigo e O idiota, culminando com a publicação de Os irmãos Karamazov em 1880. Reconhecido como um dos maiores autores de todos os tempos, Dostoiévski morreu em São Petersburgo, a 28 de janeiro de 1881.