Ciência e Espiritualidade

 

Ciência e Espiritualidade na Fraternidade da Anunciação

As professoras Rejane de Paiva e Maria da Conceição Rodrigues (Ceiça) conduziram o Encontro

“Esta é uma casa de resistência”. Com estas palavras a irmã Pompéia, religiosa paulista, definiu a natureza do Fraternidade da Anunciação, entidade responsável pelo Mosteiro da Anunciação, na cidade Goiás, onde se realizou, entre os dias 12 a 14 de outubro de 2018, o Encontro Ciência e Espiritualidade: desafios de uma nova cosmovisão.

Com 30 participantes, aproximadamente, o Encontro foi conduzido pela professora Maria da Conceição Rodrigues (Ceiça), promotora de Justiça aposentada, graduada em física e psicologia, mestra em Filosofia; e pela religiosa Rejane de Paiva, teóloga, biblista e mestra em Ciências da Religião. Pessoas qualificadas.

No site do Encontro, esta foi a apresentação do curso: “O caminho que vamos trilhar neste encontro partirá ruptura epistemológica imprimida ao conhecimento científico pela Nova Física: termodinâmica, física quântica e teoria da relatividade. Trata-se de uma visão de mundo holística, que convoca o gênero humano ao exercício de sua natureza intrínseca, que é transcendente, e à defesa incondicional da Vida”.

Ciência e Religião

Sem chegar a conclusões definitivas, o seminário tratou do conflito entre a ciência e a religião de forma moderada, optando por uma solução de equilíbrio: de acordo com a nova cosmovisão, detalhada por Ceiça, é possível a convivência entre as duas fontes de conhecimento e saber.

Fazendo uma incursão pela física quântica, a professora Ceiça defendeu a tese segundo a qual os estudos a respeito da consciência constituem hoje um ponto de interesse comum entre a ciência e a religião. “Consciência é a palavra-chave desse encontro”. Outro ponto em comum, segundo a professora Ceiça: tanto a ciência como a religião podem ser consideradas como um “sistema de crenças”.

Para a professora a convivência entre os opostos pode trazer a luz: “a quantidade de consciência disponível para uma pessoa é diretamente proporcional à sua capacidade de administrar a tensão entre os opostos”. Entre outros autores, o seminário examinou textos e documentários de Jung, Joseph Campbell, Teilhard de Chardin e fragmentos do Bhagavad Gita, texto religioso hindu.

De uma maneira geral, chegou-se à conclusão de que a ciência não consegue, ainda, explicar as questões relativas ao ser transcendente, o homem.

Matéria e consciência

O conflito entre a ciência e a religião, a partir dos estudos da física quântica, mudou de patamar e agora o que se discute não está mais fundado na matéria – domínio da física clássica, de Newton – mas sim na consciência, fronteira alcançada pela física quântica. Este é o novo paradigma, ainda em gestação.

Mas, embora não tenham sidos abordados ou indicados durante o curso, existem hoje livros importantes, alguns considerados clássicos, que tratam do tema “ciência e espiritualidade”, com foco nos avanços da física quântica. Vamos citar três.

O primeiro deles é o livro “Quem Somos Nós – A descoberta das infinitas possibilidades de alterar as  realidade diária”, publicado no Brasil em 2007, tendo como organizador o cientista William Arntz. Trata-se de um resumo do documentário americano “What The Bleep do We Know”, em que um grupo de cientistas discute e explica temas como a alteração da realidade, a física quântica e a consciência, entre outros.

O segundo livro que quero mencionar é “O Ponto de Mutação”, de Fritjof Capra, autor do livro “O Tao da Física”. No prefácio da obra, publicada em 1981, Capra justifica o seu interesse no tema: “Os novos conceitos em física provocaram uma profunda mudança em nosso visão do mundo: passou-se da concepção mecanicista de Descartes e Newton para uma visão holística e ecológica, que reputo semelhante às visões dos  místicos de todas as épocas e tradições. (…) Precisamos, pois, de um novo “paradigma” – uma nova visão da realidade, uma mudança fundamental em nossos pensamentos, percepções e valores”.

O terceiro livro importante nesse área é “O Universo Autoconsciente – Como a consciência cria o mundo material”, do físico indiano Amit Goswami. No livro lançado em 1993, Amit contesta o realismo materialista e afirma ser a consciência, e não a matéria, a base de tudo o que existe.

Jó e a sabedoria de Salomão

A professora Rejane de Paiva, por sua vez, conduziu um belo estudo a respeito de do Livro de Jó, destacando antes, a estrutura da Bíblia e os seus Livros Sapienciais: Provérbios, Jó, Eclesiastes, Eclesiástico e Sabedoria. Com o título “Narrativa mítica de uma jornada de individuação”, professora Rejane falou sobre a sabedoria contida no Livro de Jó e destacou: sabedoria é bom senso; sabedoria é falar pouco.

Anúncios

Padres, gurus, médiuns, acusados de abuso. Como o espiritismo se posiciona?

via Padres, gurus, médiuns, acusados de abuso. Como o espiritismo se posiciona?

Pedro Sahium, Doutor em Ciências da Religião

O professor Pedro Sahium, ex-prefeito de Anápolis, vem se dedicando à sua carreira acadêmica e atualmente ministra aulas na Universidade Estadual de Goiás (UEG). No dia 20/02/18 deu um passo importante na carreira de professor, obtendo o título de Doutor em Ciências da Religião, na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

Pedro Sahium defendeu a tese intitulada “CHURCH IN CONNECTION: IGREJA, SHOW MIDIÁTICO E JUVENTUDE” e na banca examinadora estavam o Prof. Dr. Alberto da Silva Moreira / PUC Goiás (Presidente), o Prof. Dr. Flávio Munhoz Sofiati / (Pós-Doutorando/PUC Goiás) / UFG, o Prof. Dr. José Roberto Bonome / UNIEVANGÉLICA, o Prof. Dr. Itelvides José de Morais / UEG e o Prof. Dr. Eduardo Gusmão de Quadros / PUC Goiás.

Parabéns ao professor Pedro Sahium!

Mostra KSULO resgata importância do médico Anapolino de Faria

A 1º Mostra de Arquitetura de Anápolis, denominada Mostra KSULO (kzulo.com), está acontecendo até o dia 10 de dezembro deste ano e tem como cenário a residência do médico e ex-prefeito de Anápolis, Anapolino de Faria, localizada na rua Dona Sandita, no centro da cidade.

Coordenada por um grupo de arquitetos anapolinos, liderados pela arquiteta Marisa Felix de Araújo, a Mostra KSULO promoveu uma completa restauração da residência e cada um dos 29 ambientes da casa ficou a cargo de uma equipe de arquitetos. A mostra envolve arquitetura, design, história e arte e o resultado surpreendeu pela beleza e preservação do ambiente original.

OSCAR NIEMEYER

Um aspecto interessante da Mostra KSULO é o de registrar a presença de Oscar Niemeyer em Anápolis, através do projeto da casa do médico Anapolino de Faria, que foi elaborado por Niemeyer e sua equipe. Para marcar esta ligação, os organizadores convidaram para participar da Mostra o arquiteto Paulo Sérgio Niemayer, bisneto do criador de Brasília (@institutoniemeyer), que fez uma original intervenção na entrada da residência.

ANAPOLINO DE FARIA

A Mostra resgata também a história desse importante político brasileiro, que foi o médico Anapolino Silvério de Faria. Nascido em Anápolis, em 1921, Anapolino de Faria formou-se em Medicina em 1947, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Retornando a Anápolis, casado com a carioca Dulce de Faria, o médico fundou a Clínica e Hospital Dom Bosco e dedicou-se também à atividade política, tendo exercido os cargos de vereador à Câmara Municipal de Anápolis (1954), Deputado Estadual (1962 e 1986), Deputado Federal por Goiás (1966/1970) e prefeito de Anápolis por duas vezes: nomeado, de 1983 a 1985; e prefeito eleito, no período de 1989 a 1992. Faleceu em Goiânia, em 2008.

Anapolino de Faria foi um político atuante, tendo se destacado na luta pela redemocratização do País. Foi fundador e primeiro presidente do MDB em Goiás e mantinha estreitas ligações com grandes políticos brasileiros, como Juscelino Kubitschek e Ulysses Guimarães. (Um carro utilizado por Kubitschek faz parte da Mostra). Sua esposa, Dulce de Faria, também teve uma importante presença em Anápolis e é homenageada na Mostra.

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

A mostra KSULO contribui para tornar mais conhecida a residência da família do médico Anapolino de Faria, um marco para a arquitetura da cidade de Anápolis. Não apenas o projeto da casa foi assinado por um arquiteto conhecido, mas também os ambientes internos levam a assinatura de outros artistas da época, como o artista Sérgio Rodrigues.

A preservação desse importante patrimônio cultural é, no entanto, incerta, pois não se conhece o projeto da família para o local. Uma alternativa viável é não apenas o tombamento do local, como patrimônio histórico municipal, mas principalmente a aquisição do imóvel, pela Prefeitura Municipal de Anápolis, para fazer funcionar no local um dos equipamentos culturais do município, como a Escola de Artes ou a Escola de Música, ou mesmo um novo museu para a cidade. (Luiz Carlos Mendes).

 

Acontece entre os dias 1º a 3 de dezembro deste ano, a 89ª Feira do Troca de Olhos d’Água, povoado fica no Município de Alexânia, entre Goiânia e Brasília. Durante a Feira, os visitantes tem a oportunidade de trocar objetos diversos pelo artesanato de Olhos d’Água, conhecido pela originalidade e delicadeza. Clique aqui e leia mais, no blog Última Parada.